Capital Europeia
    da Cultura

    A Capital Europeia da Cultura é uma iniciativa com 35 anos de história que foi desenhada para celebrar a riqueza cultural e diversidade da Europa.

    A Capital Europeia da Cultura é um título atribuído anualmente pela Comissão Europeia a duas cidades da Europa de dois países diferentes. De três em três anos o título é também atribuído a uma terceira cidade europeia que não faz parte da UE.

    Durante o período em que são Capital Europeia da Cultura, estas cidades desenvolvem uma intensa programação cultural que traz uma nova energia criativa ao território e região onde se inserem.

    Para além de potenciar o ecossistema cultural local, a Capital Europeia da Cultura promove a regeneração das cidades que recebem este título e reforça o seu reconhecimento internacional, contribuindo também para um maior orgulho e sentido de pertença dos seus habitantes e renovando o seu capital turístico.

    O que é?

    A Comissão Europeia definiu que, em 2027, duas cidades serão Capital Europeia da Cultura – uma em Portugal e outra na Letónia.

    Em novembro de 2020 o Ministério da Cultura português publicou um convite à apresentação de candidaturas. As cidades de cada país interessadas em participar devem enviar uma proposta centrada na criação de um programa cultural com uma forte dimensão europeia. Têm doze meses para o fazer, ou seja, até novembro de 2021.

    Como funciona?

    Cada país concorrente convoca um júri para a avaliação das cidades candidatas. Na fase de pré-seleção este painel de especialistas culturais avalia a primeira versão do dossier de candidatura e indica que cidades passam à fase seguinte, pedindo a cada uma o envio de informações mais detalhadas.

    O júri reúne novamente para avaliar a versão final do dossier de candidatura, elaborando depois um relatório e recomendando uma cidade por país anfitrião para o título de Capital Europeia da Cultura.

    Quem decide?

    Após a análise do júri internacional, a decisão final é conhecida entre o final 2022 e o início de 2023.

    A partir desse momento, a cidade eleita de cada país tem quatro anos para preparar o ano em que será Capital Europeia da Cultura.

    Quando sabemos?

    A Capital Europeia da Cultura é um título atribuído anualmente pela Comissão Europeia a duas cidades da Europa de dois países diferentes. De três em três anos o título é também atribuído a uma terceira cidade europeia que não faz parte da UE.

    Durante o período em que são Capital Europeia da Cultura, estas cidades desenvolvem uma intensa programação cultural que traz uma nova energia criativa ao território e região onde se inserem.

    Para além de potenciar o ecossistema cultural local, a Capital Europeia da Cultura promove a regeneração das cidades que recebem este título e reforça o seu reconhecimento internacional, contribuindo também para um maior orgulho e sentido de pertença dos seus habitantes e renovando o seu capital turístico.

    A Comissão Europeia definiu que, em 2027, duas cidades serão Capital Europeia da Cultura – uma em Portugal e outra na Letónia.

    Em novembro de 2020 o Ministério da Cultura português publicou um convite à apresentação de candidaturas. As cidades de cada país interessadas em participar devem enviar uma proposta centrada na criação de um programa cultural com uma forte dimensão europeia. Têm doze meses para o fazer, ou seja, até novembro de 2021.

    Cada país concorrente convoca um júri para a avaliação das cidades candidatas. Na fase de pré-seleção este painel de especialistas culturais avalia a primeira versão do dossier de candidatura e indica que cidades passam à fase seguinte, pedindo a cada uma o envio de informações mais detalhadas.

    O júri reúne novamente para avaliar a versão final do dossier de candidatura, elaborando depois um relatório e recomendando uma cidade por país anfitrião para o título de Capital Europeia da Cultura.

    Após a análise do júri internacional, a decisão final é conhecida entre o final 2022 e o início de 2023.

    A partir desse momento, a cidade eleita de cada país tem quatro anos para preparar o ano em que será Capital Europeia da Cultura.